Notícias
19 junho de 2018

Fontana diz que Brasil se transforma na “Disneylândia das multinacionais do petróleo”

 

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) afirmou em plenário nesta terça-feira (19) que o Brasil está se transformando numa “verdadeira Disneylândia das multinacionais do petróleo” que querem se apoderar das reservas do nosso pré-sal, “a maior descoberta petrolífera das últimas décadas no mundo”. Ele lamentou também o fato de a Câmara ter aprovado na semana passada a urgência para o projeto de lei (PL 8939/17), do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), que quer entregar 70% de uma área extremamente rica em petróleo, extremamente lucrativa e com baixíssimo risco exploratório para multinacionais.

“Eu considero gravíssima essa urgência e essa proposta, que é totalmente contra o interesse nacional. Mas nós ainda podemos corrigi-la”, argumentou. O projeto está na pauta do plenário desta terça-feira. Fontana explicou que pelo projeto do deputado Aleluia, 70% das áreas que foram destinadas para a Petrobras na chamada cessão onerosa, que permitiu, inclusive, a capitalização da estatal, poderão ser repassadas, pelo mesmo regime – que é o que gera menos dividendos para a União – para petrolíferas internacionais.

O deputado Fontana destacou também que é falso o argumento utilizado por Aleluia e pelos que defendem o PL 8939 de que isso é necessário porque a Petrobras não tem recursos para garantir a exploração de todo o petróleo dessa área. “Isto é a mais absoluta mentira!”, reforçou.

A cessão das áreas à Petrobras foi para a exploração de 5 bilhões de barris. Caso o projeto seja aprovado, a Petrobras ficaria com a exploração de 30% dos 5 bilhões de barris (1,5 bilhão) e os outros 70% (3,5 bilhões de barris) poderão ir para as multinacionais explorar. “Este crime de lesa-pátria tentar retirar da Petrobras estes campos concedidos, entre eles o Campo de Búzios, que é considerado a “joia da coroa”, um dos mais rentáveis campos de petróleo do pré-sal”, lamentou.

Fontana alertou que estas áreas que poderão ir para as petrolíferas internacionais são acompanhadas de um potencial que varia conforme as análises técnicas, mas que é, no mínimo, de mais 10 bilhões de barris de petróleo. “Ou seja, ali tem petróleo para o Brasil refinar e utilizar durante mais de 15 anos. E nós não podemos permitir que mais este crime de lesa-pátria seja votado nesse plenário”, concluiu.

PT na Câmara/Vânia Rodrigues

Foto: Gustavo Bezerra/PTnaCâmara